Translate

Receba em seu e-mail as nossas publicações

segunda-feira, 11 de abril de 2016

GRAÇA NUM LUGAR ÁRIDO

GRAÇA NUM LUGAR ÁRIDO (2 Samuel 9:1)

A palavra graça significa muitas coisas para muitas pessoas. Isto está certamente resumido no título inteligente do livro de Lofton Hudson: A Graça não É uma Loira de Olhos Azuis.

Referimo-nos a uma bailarina como sendo graciosa! Damos graças às refeições! Graça pode significar coordenação de movimentos e pode referir-se à dignidade e elegância. Mais importante que tudo, graça pode significar favor imerecido – estender favor especial a alguém que não o merece, que não o adquiriu, que nunca poderá paga-lo.

De vez em quando chegamos a uma passagem das Escrituras onde temos uma ilustração belíssima desse tipo de graça e ficamos admirados com esse dom tão surpreendente. Encontramos um desses momentos na vida de Davi. Esse é, seguramente, o maior exemplo de graça em todo o Antigo Testamento. O episódio envolve um homem obscuro, com um nome quase impronunciável: Mefibosete.

Esta é uma história linda e inesquecível.

GRAÇA: UM EXEMPLO

No capítulo 7 de 2 Samuel, encontramos Davi passando por um momento de paz e tranqüilidade, após tantas batalhas, confrontos e problemas. Ali, ele se achava em total descanso após tantas situações de stress. Neste período, Davi estaria encontrando tempo para refletir sobre seu passado e todas as bênçãos que recebera. Provavelmente, Davi estivesse se lembrando de seu melhor amigo, Jônatas e de Saul, seu predecessor.

Enquanto meditava sobre estes dois homens e o impacto que havia causado em sua vida, Davi começou a lembrar de uma promessa que fizera. Refletiu e em seguida agiu.

“Disse Davi: Resta ainda, porventura, alguém da casa de Saul, para que use eu de bondade para com ele, por amor de Jônatas?” - 2 Samuel 9:1

Esta, na verdade, é uma tradução muito infeliz, porque “bondade” insinua freqüentemente uma ideia de ternura, mas o que Davi estava expressando era muito mais profundo. Segundo o original hebraico, a palavra seria: “graça” – “para que use eu de ‘graça’ para com ele, por amor de Jônatas ”.

Graça é uma aceitação positiva e incondicional apesar da outra pessoa. Graça é uma demonstração de amor imerecido, não-adquirido e que não pode ser pago.
Davi reflete então: Há alguém em toda esta região a quem eu possa mostrar esse tipo de aceitação positiva, demonstrar essa espécie de amor ?
Porque ele queria fazer isso? Apenas para lembrar, Davi fez uma promessa. De fato, fizera duas promessas.

Em 1 Samuel 20: 13,14 quando Davi fugia de Saul para salvar sua vida, mas já estava evidentemente destinado ao trono, Jônatas diz:

“O Senhor faça assim com Jônatas, e outro tanto, se, querendo meu pai fazer-te mal, eu não te fizer saber, e não te deixar partir, para ires em paz. O Senhor seja contigo, assim como foi com meu pai. Se eu ainda então viver, não usarás comigo da bondade do Senhor, para que não morra ?”

Era costume nas dinastias orientais, quando um novo rei subia ao trono, que todos os membros da dinastia anterior fossem exterminados, a fim de eliminar a possibilidade de uma revolta. Jônatas está então dizendo aqui: – Davi, quando você subir ao trono, como certamente acontecerá, vai mostrar graça a minha família? Ao contrário do costume comum dos outros reis, preservará nossas vidas? Cuidará de nós e nos protegerá, para que não sejamos esquecidos?

Davi concordou sem hesitação. Seu amor por Jônatas o levou a fazer um acordo firme com o amigo.

“Assim fez Jônatas aliança com a casa de Davi, dizendo: O Senhor se vingue dos inimigos de Davi. E Jônatas fez Davi jurar de novo, porque o amava com todo amor de sua alma.” - 1 Samuel 20:16,17

Mais tarde, como talvez você se recorde, depois de Davi ter poupado a vida de Saul na caverna, este lhe disse:

“Eu sei que certamente hás de reinar, e que o reino de Israel há de ser firme nas tuas mãos. Agora jura-me pelo Senhor que não desarraigarás a minha descendência depois de mim, nem desfarás o meu nome da casa de meu pai. Assim jurou Davi a Saul...” - 1 Samuel 24: 20-22

Davi fez então uma promessa tanto a Jônatas quanto a Saul. Tempos depois (registrados em 2 Samuel 9) nós o encontramos pensando sobre essa promessa. Ele começa perguntando às pessoas de sua corte: “Resta ainda, porventura, alguém da casa de Saul, para que eu use de bondade para com ele, por amor de Jônatas ?”

Penso que vale a pena notar as palavras: “Resta ainda alguém ?” Ele não pergunta: “há alguém qualificado?” ou “Há alguém digno?” Mas, sim: “Há alguém? Não importa quem seja, há ALGUÉM ainda vivo que deva receber a minha graça?” Isso é aceitação irrestrita, baseada no amor incondicional.

E alguém foi identificado.

“Havia um servo na casa de Saul cujo nome era Ziba. Chamaram-no que viesse a Davi. Disse-lhe o rei: És tu Ziba? Respondeu ele: Teu servo. Perguntou o rei: Não há ainda algum da casa de Saul a quem eu possa mostrar a bondade de Deus? Ziba respondeu ao rei: Ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés” - 2 Samuel 9: 2,3.

Ao ler nas entrelinhas aqui, você sentirá que existe uma insinuação no conselho dado por Ziba a Davi. Penso que ele implicava: – Davi, é melhor pensar duas vezes antes de agir, porque esse sujeito não vai causar boa impressão em sua corte. Ele não se ajusta ao ambiente, a esta sala do trono, nesta casa nova e bela, na cidade de Jerusalém. Na verdade, ele não é uma pessoa agradável de se ver. Olhe Davi, ele tem uma grave deficiência.

Davi pergunta: – Resta alguém? – e este conselheiro responde: – Sim, mas é aleijado.

A resposta de Davi é comovente. Ele prossegue e diz: – Onde ele está? – Não pergunta: – O problema é sério? – Nem sequer indaga como ele ficou nessa condição. Apenas inquiriu: – Onde ele se encontra?

A graça é assim. A graça não procura feitos que mereçam amor. A graça opera em separado da resposta ou da capacidade do indivíduo. A graça é unilateral. Repito, é Deus se dando em plena aceitação de alguém que não a merece e jamais poderá adquiri-la e jamais poderá paga-la. É isto que torna a história de Davi e Mefibosete tão notável. Um rei forte e famoso se humilha e se dá para alguém que representa tudo o que Davi não era!
Davi pergunta simplesmente: “E onde está?”

“... Respondeu Ziba ao rei: Está na casa de Maquir, filho de Amiel, em Lo-Debar.” - 2 Samuel 9:4

O último termo geográfico é interessante. Lo em hebraico significa “não” e debar é um termo-raiz significando “pasto ou pastagem”. Este descendente de Jônatas está então num lugar incrivelmente desolado. Ele vive numa região obscura e árida da Palestina.

Desde que o costume era matar todos da dinastia anterior, tais indivíduos eram exterminados ou tinham que ficar ocultos o resto de suas vidas. Foi isto que Mefibosete fez. Ele se escondera e o único que conhecia o seu paradeiro era um antigo servo de Saul.

Davi não pergunta como este homem ficou aleijado dos dois pés, mas nós ficamos curiosos e descobrimos a resposta no capítulo 4. É uma história e tanto e acrescenta novos elementos ao lado comovente da situação. Vamos retroceder por alguns momentos:

“Jônatas filho de Saul, tinha um filho aleijado dos pés. Era este da idade de cinco anos quando as notícias de Saul e Jônatas chegaram de Jezreel. A sua ama o tomou, e fugiu, mas apressando-se ela a fugir, ele caiu, e ficou coxo. O seu nome era Mefibosete.” - 2 Samuel 4:4

Quando ouviu que Saul e Jônatas estavam mortos, a ama pegou o menino que estava aos seus cuidados e fugiu, para protegê-lo. Enquanto se apressava, provavelmente tropeçou e o menino caiu de seus braços. Em conseqüência da queda, ele ficara permanentemente aleijado e se escondera desde então, temendo por sua vida. A última coisa que queria era ver um emissário do rei bater em sua porta. Mas foi exatamente isso que aconteceu.

Pode imaginar o espanto do homem? Não sabemos a idade de Mefibosete, mas ele provavelmente tinha uma família a essa altura, pois mais tarde lemos que tinha um filho homem chamado Mica. Depois de responder à batida na porta, Mefibosete se defronta com os soldados do rei, que lhe dizem: – O rei quer vê-lo. – Ele provavelmente pensou: “Este é certamente o meu fim”.

Aqueles homens o levaram então para Jerusalém, à presença do rei. Esta é uma cena marcante da Bíblia!

“Vindo Mefibosete, filho de Jônatas, filho de Saul, a Davi, prostrou-se com o rosto em terra e se inclinou. Disse-lhe Davi: Mefibosete! Respondeu ele: Teu servo.” - 2 Samuel 9:6

Que momento deve ter sido aquele. O homem assustado deixa as muletas e cai diante do rei que tem todos os direitos, direitos soberanos, sobre a sua vida. O rei lhe pergunta: – Você é Mefibosete? – E ele responde: – Sim, sou Mefibosete. – Ele não tinha idéia do que esperar e certamente esperava o pior.

“Disse-lhe Davi: Não temas, pois de certo usarei de bondade contigo por amor de Jônatas, teu pai, e tu sempre comerás pão à minha mesa.” - 2 Samuel 9:7

Você pode imaginar como Mefibosete deve ter se sentido naquele momento? Esperando uma espada golpear suas costas, ele ouve essas palavras incríveis do rei Davi.

No livro, O Equilíbrio Vital, o Dr. Karl Menninger, fala sobre o que ele chama de “personalidade negativa”, o tipo de personalidade que a princípio diz “não” a tudo. “Esses são pacientes perturbados”, afirma Menninger. “Essas pessoas perturbadas jamais fizeram um empréstimo duvidoso, jamais votaram a favor de uma causa liberal, ou patrocinaram qualquer extravagância. Elas não podem permitir-se o prazer de dar”. Ele as descreve como “indivíduos rígidos, cronicamente infelizes, amargos, inseguros e muitas vezes suicidas”.

Para ilustrar, ele conta a história de Thomas Jefferson, que estava atravessando o país a cavalo com um grupo de companheiros quando chegaram a um rio caudaloso. Um caminhante esperou até que vários cavaleiros tivessem passado e depois chamou o Presidente Jefferson e lhe pediu para cruzar o rio na garupa de seu cavalo. Jefferson concordou e levou-o até a margem oposta. – Diga-me: – perguntou um dos homens – porque você escolheu o presidente para pedir esse favor? – O presidente? –respondeu o homem – Eu não sabia que ele era o presidente. Tudo o que sei é que em alguns dos rostos estava escrito a resposta “não” e em outros a resposta “sim”. O rosto dele era um rosto “sim”.

No livro “Despertar da Graça”, Charles R. Swindoll, diz que: “as pessoas que compreendem plenamente a graça, têm um rosto “sim”.

Quero sugerir que quando Mefibosete levantou os olhos, ele viu um “sim”, escrito no rosto de Davi. Você não gostaria de estar lá nesse momento esplêndido?

Davi olhou para ele e disse: – Oh, meu amigo, você vai ter um lugar de honra na minha família... vai comer regularmente na minha mesa. – E a coisa ainda melhora. Leia:

“Então, se inclinou e disse: Quem é teu servo, para teres olhado para um cão morto tal como eu? Chamou Davi a Ziba, servo de Saul, e lhe disse: Tudo o que pertencia a Saul e toda a sua casa dei ao filho de teu senhor. Trabalhar-lhe-ás, pois, a terra, tu, e teus filhos, e teus servos, e recolherás os frutos, para que a casa de teu senhor tenha pão que coma; porém Mefibosete, filho de teu senhor, comerá pão sempre à minha mesa. Tinha Ziba quinze filhos e vinte servos. Disse Ziba ao rei: Segundo tudo quanto meu senhor, o rei, manda a seu servo, assim o fará. Comeu, pois, Mefibosete à mesa de Davi, como um dos filhos do rei. Tinha Mefibosete um filho pequeno, cujo nome era Mica. Todos quantos moravam em casa de Ziba eram servos de Mefibosete. Morava Mefibosete em Jerusalém, porquanto comia sempre à mesa do rei. Ele era coxo de ambos os pés.” - 2 Samuel 9:8-13

Que relato fantástico da graça. Agora, sempre que o lermos, poderemos ver um rosto “sim”, por se tratar de uma demonstração do significado da graça.

Pense em como a vida deve ter sido nos anos futuros à mesa com Davi. A refeição está pronta e a sineta toca. Os membros da família e seus convidados vão chegando. Amnom, inteligente e espirituoso, é o primeiro a sentar-se. Depois vem Joabe, um dos convidados – musculoso, viril, atraente, com a pele bronzeada pelo sol, andando alto e ereto como um soldado experiente que é. A seguir chega Absalão. Como é belo! Desde o alto da cabeça até a sola dos pés não há um defeito nele. Vemos então Tamar, a linda e terna filha de Davi. Por último, poderíamos acrescentar Salomão. Ele ficou no escritório o dia inteiro, mas finalmente deixa o trabalho e comparece à mesa.

Ouve-se então um ruído surdo e aqui vem Mefibosete, apoiado em suas muletas. Ele dá sorriso sem graça, e humildemente, se junta aos outros e toma seu lugar à mesa como um dos filhos do rei. E a toalha da graça cobre os seus pés. Oh, que cena!

GRAÇA: COMPREENDENDO A SUA EXTENSÃO

Esse não é, porém, o fim da história. Essa história continua até hoje, refletida na vida de todos os filhos de Deus. Posso pensar em pelo menos oito analogias para indicar isso:

1. Em certa época Mefibosete gozou de comunhão ininterrupta com seu pai, o filho do rei Saul. O mesmo aconteceu com Adão, que andou com o Senhor no frescor da tarde e gozou de comunhão ininterrupta com seu Criador e Pai. Como Adão, Mefibosete soube um dia o que era estar em comunhão íntima com o rei.

2. Quando a tragédia ocorreu, a ama fugiu amedrontada e Mefibosete caiu. Isso o deixou aleijado pelo resto de seus dias. Da mesma forma, quando veio o pecado, Adão e Eva se esconderam com medo. A primeira reação da humanidade foi ocultar-se de Deus, encontrar razões para não estar com Deus. Como resultado, a humanidade tornou-se espiritualmente inválida e ficará assim para sempre enquanto estiver na terra.

3. O rei Davi, por amor de Jônatas, demonstrou graça ao seu filho aleijado. Deus também demonstra graça ao pecador crente por amor a seu Filho, Jesus Cristo, e o preço que ele pagou na cruz. Ele continua buscando pessoas espiritualmente deficientes, mortas por causa da depravação, perdidas em transgressões e pecados, escondidas de Deus, quebrantadas, medrosas e confusas. Estamos andando com Deus hoje porque ele demonstra a sua graça para nós por amor ao seu Filho.

4. Mefibosete não tinha nada, não merecia nada, não podia pagar nada... de fato, ele nem sequer tentou ganhar o favor do rei. Ocultou-se dele. O mesmo se aplica a nós. Não merecíamos nada, não tínhamos nada, e nada podíamos oferecer a Deus. Estávamos escondidos quando ele nos achou. Alguns de vocês podem lembrar-se de uma época em que estavam viciados em drogas, envolvidos numa vida fútil, passando de um conflito a outro, de uma experiência errada a outra, desperdiçando uma noite após outra, indo de um encontro sexual para outro, imaginando onde tudo isso ia acabar. Você não ofereceu nada a Deus. Não tinha nada que pudesse dar a Ele, nenhuma boa obra que pudesse revelar retidão autêntica. Todavia, o Rei fixou seu coração em você. Não é maravilhoso? Melhor ainda que isso – é graça. É isso que Deus nos oferece, demonstrando um amor e perdão que não podemos ganhar, merecer ou pagar. Isso é realmente graça. Ela remove todas as exigências e elimina a necessidade de justificativas quando Deus vem até nós e diz: – Você é meu. Aceito você como é, com muletas, problemas, defeitos e tudo.

5. Davi restaurou Mefibosete de um lugar árido a um lugar de honra. Ele tirou esse indivíduo quebrantado, deficiente, de um esconderijo onde não havia pastagem e o levou a um lugar de abundância, diretamente à sala da corte do rei. A analogia é clara. Deus nos tirou de onde estávamos e nos levou para onde ele está – a um lugar de comunhão com Ele. Ele nos restaurou ao que éramos antes, em Adão.

6. Davi adotou Mefibosete em sua família e ele se tornou um dos filhos do rei. É isto que Deus fez pelo pecador crente: nos adotou na família do Rei celestial. Ele nos escolheu, nos introduziu em sua família e disse: – Você vai sentar-se à minha mesa, vai comer da minha comida e Eu lhe dou a minha vida. – Todo cristão é adotado como membro da família de Deus.

7. O problema físico de Mefibosete era um lembrança constante da graça. Ele não tinha nada senão muletas, todavia, recebeu da abundância do rei. Cada vez que manquejava de um lugar para o outro, passo a passo, ele se lembrava: Estou nesta casa magnífica, gozando os prazeres desta posição por causa da graça do rei e nada mais. O mesmo acontece com o Pai. Nosso problema contínuo com o pecado é um lembrete da sua graça. Todas as vezes em que pensamos neste versículo: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar”, recordamos que a graça está à nossa disposição. É quando o Senhor cobre os nossos pés com a Sua toalha de mesa e diz: – Sente-se. Você é meu. Eu o escolhi simplesmente porque o queria.

8. Quando Mefibosete sentou-se à mesa do rei, ele foi tratado como qualquer outro filho do rei. É isso que acontece agora... e o que vai acontecer durante toda a eternidade, quando festejarmos com o Senhor. Você pode imaginar-se sentado à mesa com Paulo, Pedro e João... e talvez pedir a Tiago que passe as batatas? E conversar com Isaque, Spurgeon, e Martin Luther King, Calvino e Wycliff? Partir o pão com Abraão e Ester, Isaías e, sim, com o próprio rei Davi, acompanhado por Mefibosete? E o Senhor vai olhar para você e dirá com seu rosto “sim”: – Você é meu. Você é tão importante para mim quanto os meus outros filhos e filhas. Coma.

Só na eternidade poderemos expressar adequadamente o que esta verdade significa para nós – o fato de Ele nos ter escolhido em nossa condição pecaminosa e rebelde e nos tirar, pela graça, de um lugar árido e nos dar um lugar à Sua mesa. E, em amor, Ele permitiu que a Sua toalha de graça cobrisse o nosso pecado.

Possamos terminar esta mensagem com um sorriso. Uma face “sim” que diz: – Obrigado, Pai, por me achar quando eu não estava olhando... por me amar quando eu não era digno... por me tornar Seu quando eu não merecia.

Graça. Ela é realmente maravilhosa!

Extraído do Livro:
Davi - Um homem segundo o coração de Deus.

C. R. Swindoll – Mundo Cristão - 14/06/99

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Portal Bíblico: PEDI, BUSCAI E BATEI: IMPERATIVOS DIANTE DAS IMPOS...



Pedi,
buscai e batei: imperativos diante das impossibilidades

INTRODUÇÃO: Texto bíblico: Mateus 7:7-8

1. Há dificuldades que impendem qualquer pessoa de vencer,
do mais forte ao mais experto.
2. Há esperança de vencer as dificuldades da vida e alcançar
sucesso só em Jesus, esta esperança é acessível a todos.
3. Há um Deus que faz pelos que O procuram o que eles não
conseguem. Assim, tua busca pessoal é a que te dará sentido à vida; tuas metas
e objetivos te ligam ao teu destino; teus sonhos, propósitos e alvos absorverão
a tua energia e a tua ação; mas só Deus tem a solução para as impossibilidades
do caminho.

I. NECESSIDADES, LIMITAÇÕES, POBREZA OU CIRCUNSTÂNCAS
ADVERSAS NÃO SÃO OBSTÁCULOS A DEUS:

1. Jesus sabe que neste mundo muitas coisas nos impedem de
avançar na vida, por isso orientou aos cristãos a pedir ajuda a Quem pode ajudar.
2. Pedir não é errado, nem vergonhoso e nem atrevimento, é
reconhecimento da própria necessidade, a qual só a grandiosidade de Deus
resolve.
3. “Pedi” é a ordem de Jesus; “dar-se-vos-á” é a resposta.
Deus é o único que pode suprir toda necessidade ao reconhecê-las e pedir ajuda.
Somente “aquele que pede, recebe”.

II. ESTAR PERDIDO OU PERDER ALGO PODE SER UM GRANDE PROBLEMA
AOS HUMANOS, MAS NÃO PARA DEUS:

1. Perder-se ou perder algo revela limitação e incapacidade
humana, contudo isso não deve levar ninguém ao desespero, pois Deus está
disponível o tempo inteiro.
2. Estar perdido no tempo, na vida, no trabalho ou ter
perdido a fé, o amor, o emprego ou a família não é caso perdido para Deus. Nada
foge de Seu controle.
3. “Buscai” é a ordem de Jesus; “encontrareis” é Sua
promessa. Busque a Deus e Ele te guiará; Sua Palavra diz que “o que busca,
encontra”.

III. AS PORTAS DA VIDA PODEM FECHAR-SE E NÃO TER NENHUMA
JANELA PARA PULAR, MAS NADA PODE IMPEDIR DEUS DE ABRI-LAS:

1. Problemas, desafios, obstáculos, etc. podem ser portas
fechadas para quem vive neste mundo injusto e miserável, mas nada impede ao
cristão de avançar.
2. Falta de recursos ou oportunidades, habilidade ou
criatividade, nada impede Deus de operar na vida de Seus filhos.
3. “Batei” é a ordem de Jesus; “abrir-se-vos-á” é a reação
divina. Não há porta que Deus não abra. Entretanto, pelo fato de que “ao que
bate, se abre” não há meios de derrotar um servo de Deus.

CONCLUSÃO:

1. Quem crê em Deus não desiste: O sucesso acompanha àqueles
que persistem até alcançar a recompensa que corresponde ao investimento da
semeadura; pois pedem socorro a Deus quando as coisas vão mal.
2. Quem crê em Deus não retrocede: A vitória acompanha
àqueles que souberam semear e então colher, que souberam falar e pedir o que
precisavam, reconhecendo sua fragilidade e incompetência, buscando a Deus
quando reconheceram sua incapacidade.
3. Quem crê em Deus não é derrotado: As portas do inferno
não prevalecem contra um filho de Deus. Vitorioso e próspero é aquele que sabe
bater confiando no poder que derruba cada porta fechada, sem deter-se diante
dos obstáculos.

APELO:

1. Avance diariamente pela fé em Deus e em Suas provisões.
2. Conquiste pela coragem dependendo de Deus e de Seu poder.
3. Vença constantemente confiando em Deus e em Suas
promessas.

Pr. Heber Toth Armí

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

O Dia mais Feliz de uma criança


O DIA MAIS FELIZ A UMA CRIANÇA É AQUELE NO QUAL ELA SE ENCONTRA COM JESUS

INTRODUÇÃO: Texto bíblico: Mateus 19:13-15
1. Como encher de alegria a vida de uma criança? A algo melhor que presentes!
2. Como tornar a vida de um filho cheia de paz, alegria e felicidade?A Bíblia responde com propriedade!
3. Como as crianças podem ser abençoadas por Deus? Jesus sabe e vai te dizer a seguir:

I. O DIA EM QUE JESUS ALEGRA O CORAÇÃO DAS CRIANÇAS É QUANDO OS ADULTOS RETIRAM OS EMPECILHOS DO CAMINHO DELAS – Mateus 19:13-14
1. Os adultos muitas vezes são os responsáveis por impedir as crianças de se aproximar de Jesus.
2. Os adultos precisam entender que há pessoas e até mesmo coisas atrapalhando as crianças de irem a Jesus; empecilhos precisam ser retirados (TV, Vídeo Game, Jogos eletrônicos, Internet, etc.).
3. Os adultos precisam atender a ordem de Jesus: “Deixai vir a mim os pequeninos”; as crianças se enchem de alegria na presença de Jesus.

II. O DIA EM QUE JESUS ALEGRA O CORAÇÃO DAS CRIANÇAS É QUANDO OS PAIS LEVAM SEUS FILHOS A ELE – Mateus 19:14
1. Jesus espera pelas crianças e os pais devem levar seus filhos até Ele, os pais são responsáveis por levar as crianças à igreja.
2. Jesus ama as crianças e os pais devem falar isso a seus filhos e conduzi-los a Ele.
3. Jesus quer tornar todos os dias de uma criança repleto de diversão, paz e felicidade; as crianças se enchem de alegria na presença de Jesus.

III. O DIA EM QUE JESUS ALEGRA O CORAÇÃO DAS CRIANÇAS É QUANDO ELAS ESTÃO NA PRESENÇA DELE – Mateus 19:14-15
1. Na presença de Jesus as crianças são valorizadas; elas são importantes e especiais para Ele.
2. Na presença de Jesus as crianças são tocadas com amor divino, o mais nobre e elevado tipo de amor.
3. Na presença de Jesus as crianças são abençoadas com a promessa e garantia do reino dos Céus; as crianças se enchem de alegria na presença de Jesus!

CONCLUSÃO:
1. O dia das crianças não é o dia mais feliz para elas; o dia mais feliz é aquele no qual elas se encontram com Jesus; pode ser todos os dias, não só uma vez por ano.
2. O dia das crianças é apenas um dia de alegria, mas as crianças podem ter todos os dias repletos de alegria se forem conduzidas diariamente à presença de Jesus.
3. O dia das crianças não chega nem perto da alegria experimentada por uma criança que esteja na presença de Jesus.

APELO:
1. Você quer o melhor para seus filhos? Livre-se dos empecilhos e leve-os a Jesus, Ele oferece o reino dos Céus!
2. Você quer a bênção de Deus para suas crianças? Leve-os a Jesus diariamente através da oração!
3. Você quer a felicidade plena para seus filhos? Leia a Bíblia para eles, ela fala de Jesus!
Pr. Heber Toth Armí

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

JESUS ILUSTROU A HUMILDADE COM UMA CRIANÇA

JESUS ILUSTROU A HUMILDADE COM UMA CRIANÇA


INTRODUÇÃO: Texto bíblico: Mateus 18:1-5
1. O quê fazer na igreja no dia das crianças? O dia das crianças é o momento das crianças comemorarem e dos adultos refletirem em seu cristianismo.
2. O quê pregar na igreja no dia das crianças? O dia das crianças é um dia especial que deve conduzir o cristão a ver o que a Bíblia fala sobre as crianças.
3. O quê ensinar no culto no dia das crianças? O dia das crianças é o tempo dos cristãos lembrarem o quanto devem aprender com elas.

I.  JESUS TOMOU UMA CRIANÇA COMO ILUSTRAÇÃO DE CARÊNCIA – Mateus 18:1-3
1. Uma criança é frágil e precisa do pai, assim deve ser um cristão, que precisa do Pai celestial.
2. Uma criança é ignorante e pergunta tudo ao pai, assim um cristão deve reconhecer a necessidade da sabedoria do Pai Celestial.
3. Uma criança é dependente e carente de cuidados, esse é o discernimento que o cristão deve ter de si mesmo, e então, correr para os braços do Pai Celestial.

II.  JESUS TOMOU UMA CRIANÇA COMO ILUSTRAÇÃO DE HUMILDADE – Mateus 18:4
1. Jesus tomou uma criança como ilustração de seu sermão e mostrou que o reino de Deus é o inverso do reino do mundo, o maior é o menor e menor é o maior.
2. Jesus ilustrou uma criança para mostrar que, enquanto o mundo ensina a desejar o poder a fim de superar e dominar os outros, o cristão deve reconhecer sua fragilidade, carência e ser humildade e modesto.
3. Jesus explicou por meio de uma criança que, sendo humilde para confiar em Deus o cristão será feliz e confiante, mesmo diante das adversidades.

III. JESUS TOMOU UMA CRIANÇA COMO ILUSTRAÇÃO DE VALOR – Mateus 18:5
1. Quem recebe uma criança recebe o próprio Cristo.
2. Quem dá atenção à vida e atitude de uma criança aprende ser cristão e tem a aprovação de Cristo.
3. Quem se torna como uma criança tem tanto valor para Cristo como aquela que Ele tomou para ilustração.

CONCLUSÃO:
1. Segundo Jesus a pessoa mais importante não é aquela que se destaca em posição, poder e sucesso; mas a pessoa calada, humilde, singela, que tem o coração de um menino (W. Barclay).
2. Segundo Jesus a verdadeira humildade como a de uma criança não é pensar em si mesmo de forma depreciativa; é sequer pensar em si mesmo (W. Wiersbe)
3. Segundo Jesus, é necessário converter-se e tornar-se como uma criança, do contrário, ninguém chegará nem às portas do Céu (D. Moody).

APELO:
1. Converta-se como crianças: Aprenda com Jesus na ilustração de uma criança que, humildade é fundamental para a dependência de Deus.
2. Torne-se como crianças: Aprenda com Jesus em Suas lições de humildade, que tal característica é a credencial para entrar no Céu.
3. Viva sempre como crianças: Aprenda com Jesus que o Céu valoriza àquele que aprende humildade, confiança e dependência com uma criança.

Pr. Heber Toth Armí

domingo, 6 de outubro de 2013

Portal Bíblico: O MÉTODO PERFEITO PARA QUE TEUS PLANOS PROSPEREM

O MÉTODO PERFEITO PARA QUE TEUS PLANOS PROSPEREM

INTRODUÇÃO: Texto Bíblico: Josué 2:1-24

1. Os planos daqueles que se entregam plenamente a Deus não são anulados, destruídos ou enterrados por Ele quando os colocamos em Suas mãos.
2. Os planos daqueles que deixam Deus de lado podem até darem certos, mas os resultados não irão além das expectativas humanas, isso quando dão resultados.
3. Os planos entregues nas mãos de Deus são fundidos com os Seus preciosos planos indescritíveis os quais trarão resultados surpreendentes.

I. DEUS TRABALHA COM QUEM TEM PLANOS TRAÇADOS PARA TRABALHAR – Josué 2:1

1. Deus não tem a intenção de prejudicar ninguém ao receber os planos dos que Lhes entregam.
2. Deus não guarda, esconde ou rasga os planos daqueles que O buscam com Suas estratégias.
3. Deus abençoa e surpreende àqueles que depositam a confiança inteiramente nEle.

II. DEUS PROTEGE E ABENÇOA AOS QUE VÃO ATRÁS DE PLANOS FUNDIDOS COM OS DELE – Josué 2:2-23

1. Deus cuida dos que colocam a vida e os planos em Suas poderosas mãos durante a execução dos planos.
2. Deus guia inesperadamente àqueles que se dispõem em atender a Sua direção.
3. Deus livra das terríveis façanhas e armadilhas diabólicas de homens incrédulos.

III. DEUS SURPREENDERÁ NOS RESULTADOS ÀQUELES QUE CONFIAM NELE NA REALIZAÇÃO DE SEUS PLANOS – Josué 2:24

1. Deus revela Sua presença poderosa àqueles que O servem dedicadamente.
2. Deus revela Sua onisciência ao guiar Seus servos à casa de alguém que respondia ao apelo do evangelho.
3. Deus revela Sua graça dando sucesso além do esperado e salvando inesperadamente pessoas que clama por Ele.

CONCLUSÃO:

1. Embora Deus esteja numa esfera diferente da nossa, Ele nos ama e nos guia na jornada da vida até mesmo quando corremos risco ao avançarmos em nossos planos.
2. Embora os planos de Deus sejam maiores e melhores que os nossos, quando entregamos os nossos a Ele, Seus planos se fundem com eles.
3. Embora Deus tenha uma visão mais abrangente, ao entregarmos nossos planos e estratégias ao Seu cuidado, Ele inclui sutilmente Seus planos aos nossos e nos surpreende com os resultados.

APELO:

É incomparável o contraste entre planos nas mãos humanas e os planos humanos nas mãos de divinas; então:
1. Faça teus planos e elabore as tuas estratégias;
2. Coloque estes planos nas mãos de Deus e confie;
3. Aja atento à direção que Deus vai te conduzir e veja os resultados surpreendentes.

Pr. Heber Toh Armí


sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Portal Bíblico: A PROFUNDIDADE EVANGÉLICA E TEOLÓGICA DO SALMO 23

A PROFUNDIDADE EVANGÉLICA E TEOLÓGICA DO SALMO 23


INTRODUÇÃO: Texto Bíblico principal: Salmo 23
1. O salmo 23 é o mais lido, conhecido e decorado de todos os salmos.
2. O salmo 23 é o que recebeu mais comentários de todos os salmos.
3. O salmo 23 é o Salmo que recebeu vários títulos; por exemplo: “Salmo Pastoril”, “Cântico Pastoril”, “A pérola dos Salmos”, “O Salmo do Pastor”, “O Salmo do Bom Pastor”, “O Salmo da boa ovelha”, “O Salmo dos mártires”, etc. O que se pode extrair dele?

I.     SE JESUS FOR O TEU PASTOR VOCÊ NUNCA ESTARÁ SÓ – Salmo 23:1, 4
1.  Se fores ovelha do Pastor Jesus, terás sempre Sua presença. Pode faltar um carro novo, uma casa nova, o emprego dos sonhos, etc., mas Jesus nunca te faltará.
2.  Se fores ovelha sincera, serás guiada pelo Pastor Jesus; ainda que passes pelo deserto, Sua presença nunca te faltará.
3.  Se fores ovelha do rebanho do Pastor Jesus você pode orar “Pai nosso”(Mateus 6:9), pois Deus como um pai está sempre ao teu lado. Ele é um Deus pessoal, nunca distante!

II.   SE JESUS FOR O TEU PASTOR VOCÊ SERÁ MANTIDO POR DEUS – Salmo 23:2, 5
1.  Se fores ovelha do Pastor Jesus, serás conduzida por onde há alimento e água que mitiga a fome e sacia a sede da alma.
2.  Se fores ovelha sincera, o Pastor Jesus não te deixará sem o que é essencial e vital.
3.  Se fores ovelha do rebanho do Pastor Jesus você pode orar: “O pão nosso de cada dia nos dá hoje” (Mateus 6:11), porque Deus supre as tuas necessidades.

III.  SE JESUS FOR TEU PASTOR VOCÊ SERÁ PROTEGIDO POR DEUS – Salmo 23:3, 6
1.   Se fores ovelha do Pastor Jesus, terás paz e tranqüilidade a ponto de sentir refrigerar a alma atribulada, estressada, angustiada e aflita.
2.  Se fores ovelha sincera, o Pastor Jesus te protegerá das tentações que podem te destruir na caminhada em direção à casa do Pai.
3.  Se fores ovelha do rebanho do Pastor Jesus você pode orar: “Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal” (Mateus 6:13), porque é Deus quem te protege das forças demoníacas.

IV.   SE JESUS FOR O TEU PASTOR VOCÊ ANDARÁ PELA JUSTIÇA DE DEUS – Salmo 23:3-4
1. Se fores ovelha do Pastor Jesus, serás guiada pelas veredas da justiça sendo transformada pelo amor pessoal de Sua constante presença, até mesmo no vale de sombra e da morte.
2.  Se fores ovelha sincera, não temerás mal nenhum porque saberás que nunca estarás longe do amor e da bondade do Pastor que sabe o caminho que te conduzirá à casa do Senhor.
3.  Se fores ovelha do rebanho do Pastor Jesus você pode orar: “Venha teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no Céu... perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos a nossos devedores”(Mateus 6:10, 12), pois estarás sendo moldada ao trilhar pelas veredas da justiça.

CONCLUSÃO:
1.  O Salmo 23 é belo por natureza, pois fala de nossas necessidades naturais sendo supridas por um Deus amoroso.
2. O Salmo 23 é completo, pois apresenta a vida cristã desde quando se aceita Jesus como guia e líder da vida até o fim da jornada espiritual: O Céu – a casa do Senhor. A casa do Senhor é no Céu: “Pai nosso que estás no Céu”(Mateus 6:9).
3. O Salmo 23 é amplo, pois está revelado na oração do “Pai nosso”, o modelo de oração ensinado por Jesus, o Divino Mestre Pastor.

APELO:
1.  Aceite Jesus como teu Pastor e seja Sua boa ovelha, fiel e obediente.
2. Permita a excelente vontade do Pastor te conduza, ainda que tenhas que passar pelo vale da sombra e da morte.
3. Aceite viver no rebanho das ovelhas do Divino Pastor Jesus que Ele te conduzirá à casa do Senhor, para que ali faças a tua morada.

Elaborado pelo Pastor Heber Toth Armí

Sermão-Uma vida por amor


UMA VIDA POR AMOR
PR. ALEJANDRO BULLÓN

"Por que existe gente que encara o cristianismo com temor? Deus é um ancião de barba branca, sentado em Seu trono de glória, com uma vara na mão para castigar o desobediente? O sofrimento, a dor e as lágrimas que muitas vezes tocam nossa vida são castigos por termos nos portado mal? O que diz a Bíblia a esse respeito?

O texto para a nossa meditação é o Salmo 23: "O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente à águas tranqüilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do Teu nome. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias".

Há quatro pensamentos que destacaremos deste salmo. O primeiro é o tipo de relacionamento que Deus quer ter com Seus filhos: o relacionamento pastor-ovelha.

Para entendermos a figura que o salmista apresenta, temos que viajar para as terras onde a Bíblia foi escrita, porque aqui, na América Latina, o pastor geralmente toma o seu cajado, empurra as ovelhas e bate naquelas que saem do caminho. Lá nas terras bíblicas é diferente. O pastor vai na frente e as ovelhas o seguem. Como é possível que ovelhas irracionais sigam o seu pastor? Como é que elas aprendem a fazer isso?

Se vivêssemos naquelas terras entenderíamos facilmente. Lá, o pastor não é pastor apenas por profissão. Ele é pastor porque essa é a razão da sua vida. Ele ama as suas ovelhas, dorme com elas, come ao lado delas. O pastor recebe a ovelhinha recém-nascida em seus braços e a acaricia com amor. Quando vai de uma pastagem a outra, leva os cordeirinhos em seus braços e assim eles aprendem a ser ovelhas nos braços de seu pastor, sentindo o seu amor, seu calor e seu carinho. A ovelhinha se apaixona por seu pastor. Mesmo sendo irracional, ela instintivamente sente que ao lado dele há conforto e segurança e que não pode viver longe dele. É por isso que o pastor vai na frente e as ovelhas o seguem.

Ele vai na frente porque se aparecer algum perigo, ele é o primeiro a enfrentá-lo. Se aparecer um terreno escabroso, ele é o primeiro a machucar os pés. O pastor dá sua vida pelas ovelhas.

O que Deus está querendo nos ensinar é que não podemos ter medo de ser cristãos. O cristianismo não amputa a liberdade do ser humano; não é um fardo pesado; não torna o ser humano medíocre; não enterra ninguém. O cristianismo liberta; abre os olhos; faz com que a juventude olhe para horizontes sem fim e sinta o desejo de crescer, progredir e lutar por maiores ideais.

Sabe por que hoje existem pessoas que temem o cristianismo? Os culpados somos nós, os próprios cristãos. Às vezes, quando encontramos uma pessoa que ainda não aceitou a Jesus, queremos ensinar-lhe o caminho do cristianismo dizendo: "Você não pode fumar, não pode beber, não pode ir ao cinema, não pode fazer isto, não pode fazer aquilo, não pode ir ali, não pode vir para cá".

Que tipo de cristianismo é esse? Que tipo de vida abundante é essa que Cristo veio oferecer e que nós estamos interpretando e ensinando mal em nome do cristianismo? Que tipo de Deus é esse que, segundo a sua imaginação, Ele está no Céu, sentado em Seu trono, com uma vara na mão, tentando descobrir quem é miserável e desobediente para castigá-lo?

Esse não é o pastor do Salmo 23. Neste salmo, as ovelhas não seguem seu pastor por medo do castigo ou porque há um amontoado de regulamentos e leis a serem cumpridos. Não, elas o seguem porque seu pastor as ama, porque conquistou os seus corações e embora não sejam racionais, elas têm um instinto que diz que podem confiar nesse pastor.

Precisamos entender o maravilhoso amor de Jesus por nós. Muito cuidado amigo, ao pensar que Deus o ama unicamente quando você se porta bem; ou que só o ama se você cumpre com tudo aquilo que Ele pede. Muito cuidado ao pensar que se você se portar mal, todas as maldições de Deus cairão sobre você. Por favor, muito cuidado ao seguir a Jesus por medo dos castigos divinos. Jesus quer conquistar o seu coração. Por isso deixou tudo e veio a este mundo para procurá-lo. Você é a coisa mais linda que Jesus possui. Ele o ama com suas virtudes e defeitos, com seus erros e acertos. Ele gosta muito de você.

Se você é um pobre viciado, que não consegue se libertar das garras destruidoras do vício, saiba de uma coisa: Deus não aprova esse seu estilo de vida, mas nem por isso deixou de amá-lo um minuto. Ele está esperando que você clame. Todo o poder do universo está nas mãos dEle, para libertá-lo das correntes que o escravizam.

Você é um homossexual? Uma prostituta? Um assassino, um miserável, um imoral, um pervertido? Não importa quão sujo você se sinta na vida. Nunca permita que entre em sua mente a idéia de que você não merece o amor de Deus. Ele deixou tudo e veio a este mundo para dar-lhe paz, para transformar a sua vida, para que quando a noite chegar você possa se deitar e dormir em paz. Ele fez tudo isso para que você possa olhar o futuro sem medo. Ele já providenciou o caminho para você sair da mediocridade, da derrota e do fracasso em que vive.

Aqui entra o segundo pensamento do Salmo 23: "Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome". (Salmo 23:3)

Meu pastor, diz Davi, me ensine a andar nas veredas de justiça. O que é justiça? Não é apenas um código moral, um código de bom comportamento como diz em Jeremias: "Em seus dias, Judá será salvo e Israel estará seguro e este é o nome pelo qual será chamado: Senhor, Justiça nossa. (Jeremias 23:6)

A justiça é Jesus; não um simples código de valores morais. Justiça é uma pessoa, é Cristo. Separado dEle não existe justiça. Tudo o que o homem quer chamar justiça, separado de Jesus, a pessoa-justiça, nada mais é do que um verniz que esconde a miséria do egoísmo humano. Você quer ser justo? Autenticamente justo? Naturalmente justo? Só existe então um caminho. Você tem que ir e viver em comunhão com a pessoa-justiça. Só Ele, vivendo em você, é capaz de dar-lhe o natural, autêntico e verdadeiro sentido de justiça.

Quer andar nos caminhos da justiça? Quer deixar de viver uma vida injusta? Quer andar nos caminhos de integridade, de obediência? Quer se deleitar em fazer a vontade de Deus? Muito bem, só existe um caminho: siga o Pastor. Não pastores humanos. Nós, pastores humanos, podemos falhar. Nunca olhe para os homens, não siga homens. Siga a Pessoa-justiça. Beba na fonte da justiça. Pastores que se agarram cada dia na fonte da justiça, viverão uma vida que sempre será uma fonte de inspiração para a igreja. Homens públicos que se agarram cada dia à fonte verdadeira da justiça, terão uma vida que será uma inspiração para seu povo.

O terceiro pensamento do Salmo 23 tem a ver com a realidade desta vida: "Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo..." (Salmo 23:4)

Jesus nunca prometeu que Seus filhos não teriam dificuldades. O salmista Davi, não diz: O Senhor é meu pastor, e porque Ele é meu pastor, nunca andarei em meio do vale da sombra e da morte. Não, não é isso que o texto bíblico diz. O texto afirma: "Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum..."

Muito cuidado ao cobrar de Deus uma promessa que Ele nunca fez. Quando uma doença bate em seu lar ou um acidente chega à sua vida; quando a morte atinge as pessoas mais próximas a você; quando a tempestade sopra e a noite se torna escura; muito cuidado com o olhar para Deus e dizer: "Se Tu estás comigo, por que vêm dificuldades a minha vida"?

Eu já disse muitas vezes: aqueles que vivem uma vida de comunhão com Jesus podem sofrer e aqueles que não querem nada com Ele também podem sofrer. Você pode perguntar então:

- Qual é a vantagem de ser cristão?

A vantagem é grande porque o sofrimento na vida dos que não têm Cristo é como a ferida purulenta, como a gangrena, que vai devorando, devorando, enlouquece e mata. Aqueles que têm Cristo, também podem sofrer, só que o sofrimento na vida deles é como a ferida limpa. Dói, sangra, mas sara; e com o tempo só restam cicatrizes, e cicatrizes não doem mais. Você olha a cicatriz e até sorri lembrando o dia em que a ferida estava aberta.

Esta é a promessa de Deus: "nesta vida, querido filho, muitas vezes você vai passar pelo vale da sombra e da morte. Muitas vezes seus pés vão sangrar, vai se machucar, vai ter que enterrar seus entes queridos. Eu não prometo que nesta vida você não terá momentos dolorosos. O que Eu prometo é que em meio à dor, em meio ao sofrimento, você nunca estará sozinho. Eu estarei ao seu lado. Você não será destruído".

E aqui é que entra o quarto pensamento deste Salmo: "Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos. Unges com óleo a minha cabeça; o meu cálice transborda". (Salmo 23:5)

Você entende o que Jesus está dizendo? Os filhos de Deus estão congregados aqui. Do outro lado, os inimigos dos filhos de Deus. Só que os filhos de Deus estão participando de um banquete. Há uma mesa cheia de manjares e comida deliciosa. Do outro lado, o inimigo, incapaz de tocar o povo de Deus. A dor, o sofrimento, a miséria, a traição e a covardia chegaram ao fim e os inimigos estão impotentes, incapazes de fazer alguma coisa. É verdade que os filhos de Deus passaram pelo vale da sombra e da morte, mas o inimigo finalmente está vencido.

Ah, querido! Deus nunca prometeu que você não teria dificuldades nesta vida, mas prometeu que as dificuldades não o atormentariam a vida toda. Está sofrendo? Quanto tempo você acha que o sofrimento vai perturbar sua vida? Talvez um ano, dois ou cinco, mas finalmente o sol de um novo dia brilhará. Essa é a maravilhosa promessa de Deus.

Neste momento você pode estar vivendo um drama familiar. O seu filho pode estar amarrado ao mundo dos vícios e não consegue sair; você pode ter perdido sua filha; pode estar desempregado; pode estar com medo do futuro ou alguma doença física pode estar atormentando sua vida. Você já resistiu, resistiu, mas está chegando o momento em que não dá mais para suportar. Quando você achar que não tem mais forças, lembre-se da promessa divina: "Deus não lhe prometeu que neste mundo você não teria dificuldades. Ele prometeu que em meio ao vale da sombra e da morte nunca o deixaria".

Você pode não vê-Lo. Pode não enxergá-Lo, mas Ele está aí. Ele enxugará suas lágrimas, confortará sua dor, lhe dará forças para continuar a caminhada. E finalmente, estenderá a mesa e fará um banquete na presença dos seus inimigos, na presença de tudo aquilo que lhe provocou sofrimento. O inimigo das almas não poderá fazer mais nada contra você, pois você estará livre, vitorioso. Olhará para o passado e verá que tudo o que sofreu, valeu, porque fez parte de uma experiência de vitória.

Que grande Salmo! Primeiro: O Senhor é meu pastor. O tipo de relacionamento que Cristo quer ter com seus filhos. Segundo: Ele me guiará pelas veredas da justiça. Só Cristo é justo. Você quer ser justo? Viva uma vida de comunhão com Ele. Ele dar-lhe-á poder para viver uma vida de vitória e de obediência à Sua vontade nesta Terra. Você andará pelas veredas da justiça na medida em que viver essa vida de ovelha-pastor com o Senhor Jesus. Terceiro: Em meio do vale da sombra e de morte você nunca estará sozinho. O Pastor estará ao seu lado. E quarto: finalmente, as angústias findarão. A dor, as lágrimas e a tristeza não mais existirão. O Senhor preparará uma mesa na presença dos seus inimigos. A vitória será definitivamente sua.

Estava em Santiago do Chile gravando um programa de vídeo. Ao meio-dia, saí para lanchar e encontrei muitos recados na secretária eletrônica. Queriam falar comigo do Brasil, do Peru, de todo lado. Na hora, senti uma coisa estranha em meu coração. Algo terrível devia ter acontecido para todo mundo querer falar comigo ao mesmo tempo. Depois, chegou um telefonema e me deram a notícia.

Eu tenho uma irmã de 30 anos casada com um jovem pastor. Na última quarta-feira, aquele pastor tinha pregado para um grupo de pessoas e terminada a pregação voltava para casa por uma estrada solitária. Aí, no caminho escuro foi covardemente assassinado com um tiro de escopeta, deixando uma jovem viúva com uma garotinha de 5 anos e uma nenenzinha de 6 meses.

Onde estava Deus que não cuidou de Seu filho? Onde estava Deus que não protegeu um servo que acabava de abrir a Bíblia levando esperança e paz a corações atribulados? Onde estava Deus nessa hora? Não é assim que perguntamos sempre que a dor bate à porta do nosso coração?

Era de madrugada quando cheguei na casa de minha mãe. Meus irmãos estavam todos na sala. Entrei no quarto de minha irmã e a vi deitada na cama. Ajoelhei-me perto da cama e comecei a orar. Ela acordou, me viu e me abraçou chorando. - Obrigado por ter vindo, - disse - muito obrigado por estar aqui.

Abracei-a muito forte e falei baixinho em seu ouvido:

- Um dia Deus vai responder todas as suas perguntas. Um dia você saberá o porquê.

E ela, chorando, me respondeu:

- Eu não estou perguntando nada a Deus. Não quero que me responda nada. Não compreendo porque Ele permitiu que acontecesse tudo, mas eu O amo e confio nEle. Eu não quero que Ele me responda nada, só quero que me abrace bem forte para poder conviver com este sofrimento.

Aquele dia entendi que valia a pena acreditar em Jesus.

Aonde vai você quando a tormenta sopra; quando todos os seus recursos humanos não têm sucesso; quando você já tentou de tudo e nada deu certo; se Jesus não tem lugar em sua vida? Para aonde você corre quando seu filho está se afundando na vida e você não pode fazer nada por ele; se em sua vida não há lugar para Jesus? Para aonde vai?

Vale a pena acreditar em Jesus. Ele nunca prometeu que você não choraria, mas prometeu que enxugaria suas lágrimas. Se posso ter o privilégio de que Jesus, meu querido Jesus, enxugue as minhas lágrimas, então, bem-vinda seja a dor.

Agarre-se a Jesus neste momento. Abra-lhe o coração e permita-lhe entrar. Vá pela vida sem medo, pois com Ele a seu lado, a tormenta nunca lhe causará temor nem a escuridão o assustará.

ORAÇÃO
Pai querido, olha com amor as pessoas que Te estendem a mão neste momento. Ajuda-as a entender que Tu estarás sempre com elas em qualquer situação. Faze-as fortes em meio a dor e transforma as derrotas deste mundo em vitórias para Ti. Em nome de Jesus. Amém.

sábado, 24 de agosto de 2013

Portal Bíblico: O QUÊ DEUS VÊ QUANDO TIRA UM “RAIO X” DA HUMANIDAD...

O QUÊ DEUS VÊ QUANDO TIRA UM “RAIO X” DA HUMANIDADE 


INTRODUÇÃO: Texto bíblico: Salmo 14:1-7

1. Quando Deus olha para a humanidade, o que Ele vê?
2. Que tipo de comportamento Deus distingue nos seres humanos?
3. O que Deus destaca a você e a mim no Salmo 14 do que Ele vê nas pessoas?

I. O COMPORTAMENTO DO INSENSATO – Salmo 14:1-2

1. O insensato revela tolice, ignorância e incredulidade ao abrir a sua boca.
2. O insensato promove falsidade e perversidade na sociedade.
3. O insensato induz muita gente a crer em suas teorias que não passam de loucuras.

II. O COMPORTAMENTO DO CORRUPTO – Salmo 14:3-4

1. O corrupto corrompe-se com impurezas e imoralidades que o tornam imundo diante de Deus.
2. O corrupto não ora nem mesmo para agradecer a Deus pelo alimento.
3. O corrupto vive a iniquidade, distante de Deus e dos Seus princípios, indiferente à lei da vida.

III.  O COMPORTAMENTO DO MEDROSO – Salmo 14:5-6

1. O medroso age movido de pavor, tem terror por Deus.
2. O medroso faz o que acha certo por medo, não por amor.
3. O medroso não ajuda ao necessitado por medo de passar necessidade.

IV. O COMPORTAMENTO DO JUSTO – Salmo 14:7

1. Justo é quem aceita libertar-se do pecado para alcançar vitória sobre o mal.
2. Justo é quem é alegre e feliz porque crê na salvação oferecida por Deus.
3. Justo é quem se une ao povo de Deus, alegrando-se na trajetória rumo ao Céu.

CONCLUSÃO:

1. Quem nega a existência de Deus vive como um insensato, tolo; na verdade é um incrédulo que se nega a crer mesmo diante de evidências, pois é mais cômodo pecar crendo que Deus não existe.
2. Quem ignora a existência de Deus vive uma vida marcada pela corrupção e a prática de abominações que o tornam imundo, impuro diante de um Deus santo.
3. Quem afirma crer em Deus, mas vive um ateísmo pragmático não nega a Deus por palavras, mas pelo comportamento; age por medo, mas por também medo não faz o que é certo diante de Deus.
4. Quem ama a Deus não é perfeito, mas se apega à salvação provida por Cristo a fim de libertar-se do pecado; ao andar com Deus sua vida vai se transformando e a alegria e a felicidade tornam-se nítidas em sua vida.

APELO:

1. Identifique em qual tipo de comportamento você se enquadra.
2. Identifique quais as vantagens de buscar a Deus e a salvação.
3. Identifique-se com aqueles que são alegres e felizes aceitando o plano de Deus a você!

Pr. Heber Toth Armí